• Marisol D. M. Kotsuga/Angelina S. Camiletti

Relato de Experiencia do Enfermeiro Coordenador da Linha de Cuidados Cardiológicos

Introdução

A prática avançada em enfermagem surge como um cuidado especializado, a fim de solucionar e atender as necessidades de saúde de um indivíduo, onde papeis e competências são desenvolvidos em resposta a mudanças sociopolíticas em serviços de saúde exigindo do enfermeiro um conhecimento aprofundado dentro de uma área específica, através de uma especialização. (1)


Sabe-se que a organização hospitalar é um dos mais complexos serviços de saúde devido à coexistência de inúmeros processos assistenciais e administrativos e, uma fragmentação dos processos de decisão assistencial compartilhados por uma equipe multiprofissional com o objetivo de entregar um cuidado integral, seguro e eficaz ao indivíduo. Neste cenário, o enfermeiro desenvolve um papel fundamental como articulador desta equipe garantindo a entrega do tratamento clínico adequado durante a internação até a alta hospitalar.


O acompanhamento multidisciplinar adequado tem impacto no prognostico, melhorando a sobrevida e a qualidade de vida dos indivíduos com doenças cardiovasculares. Por esse motivo, diretrizes clínicas são importantes para a padronização de condutas baseadas em evidências, proporcionando melhores desfechos.


Partindo-se dessa premissa, desenvolve-se a linha de cuidado que compreende uma metodologia baseada na capacidade de atender completamente as necessidades de um paciente em determinadas especialidades através de ações desenvolvida pela equipe multidisciplinar que utiliza o conhecimento, experiencia e consenso para interligar os processos e serviços afim de garantir a qualidade assistencial, otimização de recursos e uma melhor experiencia para o paciente. A linha de cuidado deve ser estruturada através do mapeamento de processos, definição das responsabilidades dos profissionais envolvidos e da padronização do atendimento através de protocolos clínicos baseados em preceitos éticos e científicos em consonância com as diretrizes nacionais e internacionais, que se desdobram na otimização de recursos humanos e tecnológicos resultando no cuidado personalizado.


A reformulação da assistência através de protocolos clínicos direcionados ajudam a integrar o paciente ao plano de cuidado específico e individualizado, melhorando a qualidade percebida e auxiliando ao desenvolver de uma prática organizada, clara e objetiva.


Uma vez que doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no mundo e que mais pessoas morrem anualmente por essas enfermidades do que por qualquer outra doença,(2) surge a necessidade de implementar uma Linha de cuidado cardiológica com o objetivo de facilitar o cuidado da saúde do paciente oferecendo um serviço completo e ampliando a disponibilidade de exames e tratamentos através da integração das diversas áreas de atuação cardiológica no hospital como o serviço de emergência, hemodinâmica, arritmias, cardiologia clínica (UTI e UCI), SADT e ambulatórios. Esta estratégia permite uniformiza a assistência e a informação prestada, proporcionando a otimização dos recursos da Instituição e o aumento da segurança do paciente em seu tratamento através de fluxos assistenciais seguros que garantem o completo atendimento das necessidades de saúde e expectativas do paciente.


Metodologia

Trata-se de um relato de experiencia sobre a criação e implementação da linha de cuidado de ação contínua na prática avançada de enfermagem em cardiologia, desenvolvido no Hospital São Luiz unidade Morumbi.


Descrição do Contexto

Projeto elaborado e desenvolvido pelo corpo clínico e corporativo da Rede DO´r São Luiz, criando um cenário clínico para melhor atendimento dos pacientes através da elaboração de protocolos gerenciados baseados no desdobramento de todo processo desde o atendimento inicial na emergência da Unidade, até o momento de alta hospitalar e seguimento ambulatorial. Através de sinais e sintomas de alertas apresentados pelo paciente ou identificados em exames complementares, é possível realizar a captação dos pacientes cardiológicos nos diversos setores da unidade, como pronto socorro, ambulatório, SADT, hemodinâmica e unidade de internação. Os profissionais envolvidos no atendimento devem comunicar à equipe da linha de cuidado quando realizado o primeiro contato com o paciente caracterizado como cardíaco. A linha de atendimento deve ser formada por profissionais especializados e capacitados para a captação adequada de pacientes a serem inseridos na linha de cuidado, sendo composta por médico coordenador, cardiologista clínico e enfermeira especialista, que fazem a interface com outras equipes/serviços como a cirúrgica, hemodinâmica, arritmia, SADT, administrativa de faturamento e central de agendamento, fisioterapia, nutrição e psicologia para que o paciente tenha todas as suas necessidades atendidas durante a internação.


Ao longo da internação do paciente, o enfermeiro navegador da cardiologia, deve valorizar o cliente em todas as suas necessidades e não apenas a doença e através dos cuidados prestados, atingir o objetivo dessa clientela com a promoção do conforto e melhora da qualidade percebida. Sendo, portanto, de fundamental importância o conhecimento a respeito de possíveis complicações e o impacto da doença na sobrevida do paciente.


A responsabilidade do enfermeiro baseia-se em desenvolver ações que visam atender o paciente cardiológico em sua integralidade garantindo a implementação de condutas clínicas assistenciais desde a entrada no hospital até os pós alta hospitalar. Para isso, a interação entre o enfermeiro navegador e o enfermeiro do setor é fundamental para garantir o atendimento das necessidades reais do paciente, através de condutas assertivas e com o foco no cuidado.


Dentre suas ações, é relevante o acompanhamento do agendamentos de procedimentos, e o seguimento dos cuidados assistenciais no pré e pós-procedimento, visando a segurança na realização dos processos cirúrgicos e no direcionamento do melhor tratamento. Através dos protocolos cardiológicos institucionais, é função do enfermeiro gerenciar e acompanhar os resultados com análise de indicadores, garantindo a qualidade dos processos estabelecidos.

Ao programar a alta hospitalar, em conjunto com a equipe multidisciplinar, o enfermeiro relaciona-se com o paciente entendendo suas necessidades e dificuldades para seguir o tratamento proposto esclarecendo e orientando qualquer questionamento a cerca do tratamento programado. O enfermeiro é responsável por garantir que todos os pacientes inseridos na linha de cuidado tenham as consultas de reavaliação agendadas em até 15 dias, proporcionando o acompanhamento do tratamento direcionado durante a internação hospitalar.


Após a alta hospitalar, a enfermeira da linha de cuidado deve acompanhar o paciente através de contatos telefônicos em até 24 ou 48 horas onde se busca conhecer a percepção do paciente quanto ao atendimento recebido, gerenciando ações para possíveis melhorias institucionais.


Nesse contexto, a inserção do enfermeiro navegador da cardiologia com uma visão holística do cliente favorece uma abordagem com o foco de prevenir insatisfações e promover o conforto bem como resultados de saúde e bem-estar.

Considerações Finais

Com este relato de experiência, foi possível descrever a real importância de um enfermeiro navegador para linha de cuidados cardiológicos no âmbito hospitalar. O aumento da qualidade percebida pelos pacientes inseridos na linha de cuidado é notório através de relatos telefônicos, valorizando o trabalho multidisciplinar desenvolvido pelo Hospital.


Através das ações da linha de cuidados, houve um aumento do número de atendimento mensal na unidade, oriundo da captação dos pacientes internados fora de clínica, permitindo a otimização de recursos, garantindo uma assistência adequada e de qualidade para os pacientes cardiológicos o que certamente resulta em melhora na qualidade de vida em suas atividades humanas básicas, garantindo um bom relacionamento entre paciente e instituição.


Neste sentido, conclui-se que estabelecer uma linha de cuidado para o paciente com doenças cardiovasculares, garante o acesso ao hospital de forma integral, promove a prevenção e o tratamento precoce de complicações, podendo reduzir o número de internações favorecendo a melhoria na qualidade de vida.

Autoras:

  • Marisol Dorizo de Melo Kotsugai

  • Angelina Silva Camiletti

Referências

  • Souza BML, Salviano CF, Martins G. Advanced Practice Nursing in Pediatric Urology: experience report in the Federal District: relato de experiência no Distrito Federal . Rev Bras Enferm [Internet]. 2018;71(1):223-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0654.

  • Organização Pan-Americana de Saúde. Disponivel em: (https://bit.ly/3hOMXkK). Acesso em Outubro 2020.

1 visualização

Posts Relacionados

Ver tudo

SCASSST de alto risco x IAM com supra oculto

MSS, 61 anos, sexo masculino, branco, previamente assintomático, apresenta histórico de tabagismo e hipertensão essencial, atualmente em uso de losartana 100mg/dia. Iniciou há cerca de quatro horas q