• Dr. Guilherme D`Andréa Saba Arruda

Estudo: FIGARO-DKD/FIDELITY

ESC 2021: Comentário sobre o Estudo FIGARO-DKD/FIDELITY.


O estudo apresentado no ESC 2021 traz importantes contribuições dentro do cenário do diabetes associado com a doença renal crônica. O estudo foi patrocinado pela indústria farmacêutica teve como objetivo avaliar a eficácia e segurança do finerenone em reduzir eventos cardiovasculares entre os pacientes com diabetes do tipo 2 e doença renal crônica.


Em relação ao desenho do estudo, os pacientes foram randomizados 1:1, sendo n=3686 para o grupo finerenone e n=3666 para o grupo placebo. Os pacientes com ritmo de filtração glomerular (RFG) entre 25-60 ml/min/1.73m2 receberam a dose de 10mg uma vez ao dia na visita de seleção e aqueles com RFG ³ 60 receberam a dose de 20mg uma vez ao dia. Um aumento de dose de 10mg para 20mg foi orientada após um mês de uso, caos a dosagem sérica de potássio fosse 4,8 mmol/L e o RFG se mantendo estável. A duração do seguimento foi de 3,4 anos, sendo a média de idade de 64,1 anos, como 31% do gênero feminino.


Os critérios de inclusão foram:


· Idade ³ 18 anos

· Diabetes tipo 260

· RFG entre 25 e 90 ml/min/1.73m2, elevação moderada da albuminúria (30-300mg/g); ou albuminúria severa (300-5000) mg/g e RFG > 60

· Dose máxima tolerada de inibidores de renina angiotensina

· Potássio sérico 4,8 mmol/L


Os critérios de exclusão foram:


· Insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida com classe funcional II-IV (NYHA)

· Hipertensão não controlada


Alguns dados relevantes sobre as características dos pacientes foram:


· Média da Hemoglobina glicada foi de 7,7%

· Média da Pressão arterial sistólica foi de 136mm Hg

· Média RFG 67,8 ml/min/1.73m2

· Média do potássio sérico foi de 4,3 mmol/L

· Uso de medicamentos: Diurético (48%); Estatina (71%) e inibidores SGLT2 (8%)


Os principais resultados encontrados em relação ao desfecho composto primário (morte cardiovascular, infarto do miocárdio, acidente vascular encefálico, hospitalização por insuficiência cardiaca) do finerenone vs. Placebo foi de 12.4% vs. 14.2% ( [HR] 0.87, 95% intervalo de confiança [IC] 0.76 -0.98, p = 0.03). Na análise individual temos:


· Morte cardiovascular: 5.3% vs. 5.8%

· Infarto do Miocárdio: 2.8% vs. 2.8%

· AVC: 2.9% vs. 3.0%

· hospitalização por insuficiência cardiaca HF: 3.2% vs. 4.4% (HR 0.71, 95% CI 0.56-0.90)


Com relação aos desfechos secundários temos finerenone vs. placebo:


· Insuficiência renal (queda sustentada da função de base de ≥40% no RFG, ou morte em decorrência de causa renal): 9.5% vs. 10.8% (HR 0.87, 95% IC 0.76-1.01)

· Doença renal (estágio final): 0.9% vs 1.3% (HR 0.64, 95% IC 0.41-0.995)

· Todas as causas de hospitalização: 42.7% vs. 43.8%

· Todas as causas de mortalidade: 9% vs. 10.1% (HR 0.89, 95% IC 0.77-1.04)

· Hipercalemia: 10.8% vs. 5.3%


Os resultados deste estudo indicam que o finerenone tem efeitos interessantes sobre os resultados CV entre pacientes com DM2 e DRC, que estavam em um histórico de terapia de bloqueio máximo do sistema renina, principalmente devido a uma redução na hospitalização por IC. Também houve uma redução na doença renal estágio final. Houve um risco maior de hipercalemia com finerenone. Esses resultados estendem os achados do FIDELIO-DKD e incluíram pacientes com DRC menos grave, incluindo DRC estágios 1 e 2 com albuminúria severa. A análise FIDELITY combinada confirma um benefício nos resultados CV e renais com a f finerenone. É importante notar que os pacientes com ICFr sintomática foram excluídos de ambos os ensaios.


O finerenone é um novo antagonista do receptor mineralocorticoide (MRA) seletivo não esteroidal com efeitos anti-inflamatórios e antifibróticos. Os achados sugerem uma potência mais alta e menos hipercalemia do que os MRAs esteróides, como a espironolactona e a eplerenona. Eficácia semelhante foi relatada com inibidores do SGLT2, como dapagliflozina, empagliflozina, canagliflozina e sotagliflozina entre pacientes com DM2 e DRC. Não está claro se ambas as terapias podem ser usadas juntas (apenas ~ 8% dos pacientes neste estudo estavam em uso de inibidores de SGLT2 no início do estudo) ou se uma seria considerada de primeira linha em comparação com a outra.


Referências Bibliográficas:

Pitt B, Filippatos G, Agarwal R, et al., on behalf of the FIGARO-DKD Investigators. Cardiovascular Events With Finerenone in Kidney Disease and Type 2 Diabetes. N Engl J Med 2021;Aug 28:[Epub ahead of print].



Dr. Guilherme D`Andréa Saba Arruda

Médico Coordenador da Cardiologia Rede D`Or Regional São Paulo

35 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo