• Portal da Cardiologia D'Or

A Cardiologia Intensiva


Rafael Alves Franco

A história da cardiologia intensiva remonta de meados do século XX e tem íntima relação com o desenvolvimento de unidades coronarianas e técnicas de ressuscitação cardiopulmonar.


A primeira descrição do que seria conhecida como unidade coronariana se deu em Julho de 1961. A primeira unidade coronariana baseada nesses princípios foi inaugurada em Sydney/Austrália, e recebeu seus primeiros pacientes no início de 1962.

Na primeira fase, o foco dessas unidades foi a ressuscitação cardiopulmonar. Num segundo momento, o tratamento agressivo das arritmias cardíacas potencialmente fatais era o foco principal, período que originou conceitos consagrados até os dias de hoje como a não influência a longo prazo de arritmias ventriculares na fase aguda do infarto quando revertidas de modo bem sucedido. Seguiu-se a ampliação de conceitos e tratamento da insuficiência cardíaca aguda e choque cardiogêncico pós-infarto, atingindo finalmente a fase de tratamento específico para a coronária, incluindo antiagregantes (AAS), anticoagulação (inicialmente com heparina não fracionada), cineangiocoronariografia, angioplastia com balão e a era dos stents.


Nos dias atuais, o conceito de unidade coronariana tem se expandido vigorosamente, abrindo um amplo campo ao qual “sugerimos” o nome de cardiologia intensiva. Além de todo o conhecimento adquirido ao longo das últimas décadas em relação a definições, estratificação e tratamento das síndromes coronarianas agudas, tem se somado diversos campos de atuação as unidades cardiológicas. Destacam-se o manejo da insuficiência cardíaca aguda e crônica, os dispositivos de assistência ventricular (desde curta a longa duração), ECMO (Extracorporeal Membrane Oxygenation), monitorização hemodinâmica (cada vez menos invasiva e acurada), os cuidados no pós-operatório de cirurgias cardíacas e vasculares, o manejo do perioperatório de cirurgias não-cardíacas em pacientes cardiopatas ou de alto risco cirúrugico, entre outros.


Portanto, esta seção tem como objetivo discutir de forma prática fundamentos da cardiologia intensiva, comentar artigos recentes relacionados as unidades cardiológicas e, de modo dinâmico, desenvolver este tema fundamental para a cardiologia moderna!

Sejam bem vindos!

1 visualização

Posts Relacionados

Ver tudo

ECMO (Extracorporeal Membrane Oxygenation)

Definições e Histórico ECMO, sigla em inglês que se refere a Oxigenação por Membrana Extracorpórea, constitui um dispositivo que fornece suporte pulmonar e/ou cardíaco de modo temporário. As primeiras